IDOSOS SÃO QUEIMADOS VIVOS NA ÁFRICA POR SUSPEITA DE PRATICAR BRUXARIAS

Quatro pessoas foram queimadas vivas depois que uma multidão enfurecida suspeitou que elas praticavam feitiçaria no condado de Kisii.



As vítimas mortas são, Jemima Mironga (60), Agnes Ototo (57) e Sigara Onkware (62) e Sindege Mayaka (85). De acordo com os moradores locais, os quatros suspeitos foram identificados pela a própria vítima que teria sido sequestrada pelos supostos bruxos.


Um adolescente que teria sido vítima dos quatros suspeitos, foi encontrado abandonado e debilitado na beira de uma  estrada. Ao ser socorrido, ele informou para os populares que os quatros idosos mantiveram ele em cárcere privado e em seguida teria lhe abandonado a beira da estrada após uma sessão de feitiçaria.

 O jovem informou para a população a casa onde ele era mantido preso e identificou os quatros suspeitos que foram capturados por um grupo de pessoas. 


A casa foi destruídas e incendiada, as quatros pessoas foram arrastadas e queimadas vivas na beira de uma estrada.


Os policiais foram acionados, ao chegarem no local, encontraram os suspeitos queimados e mortos.







A publicação abaixo foi retirada de uma postagem no Facebook, feita por um morador local.


Google Tradutor...




Os Caçadores de Bruxas de Kisii.


Na terra de Kisii, bruxas são caçadas, espancadas, arrastadas e decapitadas por uma seita ritualística de Caçadores de Bruxas.


Uma bruxa é um ser humano que os supersticiosos acreditam possuir poderes sobrenaturais negativos suficientes o suficiente para prejudicar outros seres humanos. Acredita-se que as bruxas em Kisii são predominantemente mulheres.


Na manhã de domingo, juzi tu, a Sra. Sindege Mayaka estava ocupada a alimentar as suas galinhas na sua casa na vila de Morero, sub-condado Marani, Condado de Kisii, antes de se preparar para ir à igreja. Ela não sabia que tinha sido declarada bruxa pelos Caçadores de Bruxas de Kisii. Ela só ficou surpreendida ao ver um grupo de estranhos brandindo pangas, putas, machados e clubes entrando na sua casa proferindo algumas palavras incompreensíveis.


Eles foram direto para ela, atacaram-na, arrastaram-na de sua casa e marcharam-na para o recreio da Escola Primária Nyagonyi, localizado atrás da igreja luterana que ela costumava frequentar todos os domingos. A propósito, ela está morta agora. Ela foi decapitada pelos Caçadores de Bruxas.


A mulher de 83 anos tentou resistir à "prisão, falou em línguas pedindo libertação divina mas não foi presa. Ela então optou por pedir misericórdia mas os brutais caçadores de aparência feroz não conseguiram ouvir nenhuma das suas petições. Ela foi para o plano B. Ela levantou os 20.000 xelins que tinha como suborno pela sua vida. Os caçadores pegaram o dinheiro e continuaram com sua missão. Nenhuma quantidade de influência os influencia exceto a sua missão. Christopher Mayaka, o filho da mulher que estava a olhar para um túmulo iminente, tentou intervir mas foi rapidamente silenciado por um corte panga que cortou a parte traseira da sua cabeça. Ele caiu inconsciente. Ele recuperou a consciência num dispensário local apenas para ser esbofeteado com a notícia do linchamento bem sucedido da mãe dela. Também assistindo a cena horrível estava a Sra Beatrice Chepkorir casada com o filho da suposta bruxa.


A Sra. Sindege não foi sozinha para o reino sem retorno. Ela estava acompanhada por outras três mulheres linchadas em plena luz do dia daquele domingo de 17 de outubro de 2021. Ela foi a quarta a ser linchada no terrível ataque. As outras mulheres engolidas pelos inapropriados pangas dos Caçadores de Bruxas de Kisii, eram a Sra Jemima Mironga de 60 anos, a Sra Sigara Onkware de 62 anos, e a Sra Agnes Ototo Moraa de 57 anos. Estão todos a descansar numa casa mortuária em Kisii à espera do enterro pelos parentes que foram banidos e deserdados das suas terras pelos Caçadores de Bruxas.


As quatro mulheres mortas foram acusadas de enfeitiçar um rapaz de 17 anos e transformá-lo num zumbi. Os caçadores disseram que o rapaz parecia fraco, não estava a falar, sentia frio e estava perturbado e confuso. O estudante do Form Four numa escola secundária local está doente há mais de um mês. Os caçadores disseram que na noite de sexta-feira foi plantada uma cruz na frente da casa do rapaz. Eles interpretaram isso como significando que as bruxas tinham visitado a casa. A missão de identificar as bruxas foi, portanto, concebida urgentemente. Os caçadores reuniram com força todos os aldeões e conduziram-nos através de um ritual de desmascarar as bruxas.


A forma quatro garoto foi feita para deitar-se e a cada aldeão recebeu uma Bíblia cristã para colocá-la no menino supostamente enfeitiçado e sussurrar a palavra "curar" enquanto cuspem saliva em seu rosto. Se o estado de zumbi da vítima desaparecer durante a sua volta na fila, então você é responsável por enfeitiçar. O ritual deu positivo para uma das mulheres. A mulher foi então forçada a revelar seus supostos cúmplices antes de ser linchada e foi assim que as outras três mulheres conheceram a sua morte.


Como agora, alguns caçadores de bruxas foram detidos. O vice-comissário do condado de Marani, Patrick Muriiura, diz que a polícia ainda está à procura de outros. Em anexo está a foto 




Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.