ELETRICISTA É MORTO A TIROS EM MARABÁ

 Um homem foi assassinado na noite da última segunda-feira (14), em Marabá, no sudeste paraense. Câmeras de segurança registraram toda a ação dos criminosos. A vítima foi identificada como Jorbe dos Santos Souza, 37 anos. Ele era ex-presidiário e trabalhava como eletricista.


Nas imagens é possível ver a vítima, de cócoras, encostado no muro, conversando com um colega. Na frente deles está uma caminhonete branca estacionada.Prefeitura de Belém proíbe festas de natal e ano novo e autoriza funcionamento de shoppings e comércioJustiça proíbe realização de festas de fim de ano em SalinasO suspeito desce de um veículo preto, parado um pouco mais à frente da vítima. Encapuzado, ele caminha para perto de Jorbe com uma arma longa em punho. Bem próximo, ele dispara contra a vítima, que ainda consegue correr, mas é atingido com outros disparos. O colega que conversava com Jorbe saiu ileso. A Polícia Militar foi acionada e já encontrou o corpo caído no meio do mato.  “Pelas imagens da câmera, o assassino saiu com uma arma longa, efetuou disparo e logo em seguida, saiu correndo atrás do mesmo com outro tipo de armamento, provavelmente uma pistola 380”, informou o subcomandante do 34º Batalhão de Polícia Militar, major Edson.


A Polícia Militar conseguiu o número da placa do veículo usado pelo criminoso, mas não confere com o veículo usado no crime, o que leva a acreditar que a placa é clonada. Adolescente grávida é estuprada pelo amigo do companheiroPadrasto estuprava enteada dizendo que ia retirar "encosto" delaDe acordo com a polícia, Jorbe esteve preso recentemente após ser flagrado com droga. “Ele estava ligado com o tráfico de drogas. Na rede social aparece com armamento dentro do veículo dele, inclusive ele era conhecido da guarnição por ter sido conduzido para a delegacia por estar com uma quantidade de droga”, afirmou o major Edson.


O oficial informou ainda, que ao chegar ao local, a guarnição se deparou com a chave no portão da casa da vítima e resolveu adentrar para saber se havia alguma coisa. Os militares constataram uma grande quantidade de sangue nas paredes e móveis quebrados. “Ao interpelar a esposa dele, ela relatou para a gente que foi agredida na quinta-feira passada. Ela foi furada, não sei se com faca ou algum objetivo perfuro–cortante, e ela registrou uma ocorrência na Polícia Civil, sobre a Maria da Penha”, complementou o militar. O Departamento de Homicídios investiga o caso


Fonte: DOL












Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.