ESTUPRADOR É TORTURADO E EXECUTADO APÓS MATAR ENTEADA DE 2 ANOS


O ajudante de pedreiro identificado como, Edson Neri Barbosa, de 27 anos, estava foragido desde o dia que a garotinha de apenas 2 anos morreu, antes mesmo de dar entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), para onde foi levada desacordada pela mãe no domingo (19).


O crime aconteceu no bairro de Vila Canária, em Salvador - BA. O assassino foi capturado por membros de uma facção, na noite desta segunda-feira (21),  ele foi torturado em seguida executado.

Fotos e um vídeo de apenas 30 segundos, mostra Edson morto e sem roupas.















ATUALIZAÇÃO


Parentes de menina morta por padrasto desconfiavam de abusos 

Ágatha, 2 anos, foi enterrada nesta manhã; mãe não compareceu ao enterro
Alguns sinais, como comportamento arredio, fizeram com que familiares de Ágatha Sophia desconfiassem que a pequena já vinha sendo estuprada pelo padrasto, o ajudante de pedreiro Edson Neri Barbosa dos Santos, 27 anos. A menina morreu no domingo (20), depois de ter sido abusada sexualmente na casa onde morava com a mãe e o padrasto, na Rua José Gomes de Aguiar, no bairro de Vila Canária, em Salvador.

"No Réveillon, carreguei Ágatha no colo. Ela começou a gritar: 'Ai, ai, não, não, está doendo'. Fiquei assustada porque a mãe deixava a menina sozinha com o padrasto. Ele costumava dar banho, trocar a roupa, colocar a menina no colo e ainda dar beijo na boca", declarou a tia da menina, a manicure Jacira Sales de Souza, 41, no velório da criança, que aconteceu na manhã desta terça-feira (22), no cemitério municipal de Pirajá. 

Segundo a tia de Ágatha, o comportamento de Edson com a menina chamava a atenção dos parentes, menos da mãe, a diarista Jéssica de Jesus, 21 anos. "A gente perguntava a ela se havia alguma coisa de errado com a criança, mas ela dizia que não, que a criança gostava do padrasto", disse.

"Ela era uma mãe muito ausente. Uma vez a população tentou linchar Edson, quando rolou um boato de que ele havia tocado Ágatha de forma diferente. Ele escapou daquela vez por que a polícia chegou na hora, mas desta vez ele não teve a mesma sorte", completou a tia, na porta do cemitério.

Suspeito do crime, Edson foi morto na noite de segunda-feira (21), depois de ser capturado por uma facção criminosa. Em um vídeo que circula nas redes sociais e que foi obtido pelo CORREIO é possível ver o suspeito sem roupas e ferido na cabeça. 

Jéssica não foi ao sepultamento da filha. "Ela sabe que todo mundo está retado com ela. Tudo isso foi também culpa dela. Um cara que ela tinha pouco mais de um ano e meio de relacionamento? Ela foi conivente. Ela desistiu de vir ao enterro por medo da reação de todo mundo. Ela ficou na casa da mãe", disse tia da menina, a auxiliar de serviços gerais  Elisângela Novais, 33. 

O enterro da pequena Agatha Sophia foi marcado por momentos de emoção. Durante o velório, muitas pessoas choravam. "Meu Deus, toma conta do nosso anjinho", repetia Elisângela. Uma outra tia da criança, Cassia, chegou a desmaiar mais de uma vez e foi necessário levá-la a uma Unidade de Pronto Atendimento Médico (UPA).

FONTE: Página do Facebook - Rede Notícias






2 comentários:

Tecnologia do Blogger.